Parque do Mendanha se encontra fechado por falta de água
Alex Belchior – Fala Vila Kennedy

Hoje por volta das 20 horas a redação foi informada do fechamento do Parque do Mendanha por falta de água. O administrador João Galdino informou da seca, não desce água e por isso o parque teve que ser fechado. Galdino lembra que a 12 anos isso não acontecia até mesmo com o grande calor no verão. Principal atração é a queda de água que abastece a piscina natural que é o divertimento da população nesses dias de calor. São quase 15 dias que não chove, o rio Paraíba do Sul a cada dia perde volume de água e é importante a população economizar.

Criado pela Prefeitura do Rio em 1993, com área de 1.500 hectares, o Parque abriga grande biodiversidade, típica da Mata Atlântica, com espécies raras e ameaçadas de extinção, rios, cachoeiras e trilhas ecológicas.

A cultura do café perdurou até fins do século XIX, quando o uso destes espaços, predominantemente agrícola, reorienta-se no sentido da rápida urbanização. A chegada a Bangu do Ramal Santa Cruz da Estrada de Ferro Central do Brasil, em 1890, e a implantação da fábrica da Companhia Progresso Industrial do Brasil, em 1893, são marcos do processo de estruturação urbana.

A Fábrica Bangu, como ficou conhecida, além de ampla disponibilidade de terras baratas para suas instalações, necessitava de um grande número de trabalhadores residindo próximo ao local de trabalho. Para isso, adquiriu três grandes fazendas, onde se estabeleceram as vilas de técnicos e operários da fábrica, que deram início ao surgimento do populoso bairro de Bangu.

A necessidade de captação d’água levou a fábrica a construir um reservatório na Serra do Mendanha, acompanhado de um aqueduto. Este reservatório ficou conhecido como “Caixinha” e se transformou em ponto de referência do Maciço para os habitantes da região. A “Caixinha” foi durante muito tempo utilizada como área de lazer para os dirigentes da Fábrica Bangu, pelas belezas naturais do local.