Moradores cansados de ver a localidade cheia de entulhos e lixo 

O Brasil produz cerca de 230 mil toneladas de lixo por dia. Isso equivale a duas filas de caminhões de lixo de 5 toneladas, ocupando o espaço de dez pontes Rio-Niterói. Cada brasileiro gera diariamente, em média, 500 gramas de lixo. Esse número pode chegar a 1kg, dependendo do poder aquisitivo e do local onde se vive. Só em São Paulo são produzidas 12 mil toneladas diárias. Em algumas cidades brasileiras, quase metade do lixo é atirado pelas ruas, em terrenos baldios, rios, lagos e até mesmo no mar.

O lixo que descartamos em casa é normalmente colocado em sacos plásticos fechados. Cerca de 35% do lixo coletado poderia ser reciclado ou reutilizado, e outros 35% poderiam ser transformados em adubo orgânico. De tudo o que é coletado, apenas uma pequena parte é destinada adequadamente a aterros sanitários. O restante é depositado em lixões, sem nenhum tratamento.

Com uma população enorme, muitas obras, temos por todo lado pessoas jogando o lixo de sua obra ou móveis velhos. Só que em seguida, vem aquele morador que acordou tarde, não colocou o lixo para o gari levar e jogo nesse entulho. Não temos mais caçambas de lixo pela localidade, tinhamos um ecoponto que acabou para ser construída a clínica da família, as duas caçambas na sede da Comlurb foi retirada e as outras em frente a Unidos da Vila Kennedy também. Então o povo acostumado a jogar lixo domiciliar nesses pontos, agora joga na porta das escolas, em terrenos abandonados e onde achar mais rápido para se livrar do lixo.

A Prefeitura do Rio criou o 1746, só que não recolhe lixo na calçada, tem que colocar em sacos, ligar e solicitar a retirada. Tem um caminhão chamado como "Papa Tralha", que passa nas ruas recolhendo móveis usados, madeiras, roupas e tudo que não serve. Só que a nossa sociedade civil se encontra desorganizada, divididos, já tentamos criar um fórum e não foi possível unir as lideranças. Só que é preciso uma solução e com certeza esse problema tem que entrar na lista de melhorias de 2014.

Reduzir a quantidade de lixo é um compromisso de todos. Se pensarmos que cada pessoa produz cerca de 180 quilos de lixo num ano, percebemos facilmente que minimizar esse quadro depende da atitude de cada um de nós. Todo o material descartado e que se transforma em lixo nas grandes cidades pode, em larga escala, ser recuperado como matéria-prima e reutilizado na fabricação de novos produtos. A isso damos o nome de reciclagem. Dessa maneira, evita-se que esse material acabe no lixo e diminui-se a quantidade de resíduos sólidos.

Através da coleta seletiva é possível transformar o lixo urbano em uma grande fonte de renda, ajudar a aumentar a vida útil dos aterros sanitários e reduzir os gastos do município com a limpeza da cidade. Evitar o desperdício e reciclar o lixo é o melhor meio de transformar frascos de plásticos, vidros, alumínio, papéis e borracha em matéria-prima para a indústria sem que haja a necessidade, por exemplo, de novas extrações minerais ou corte de árvores.

Temos vários caminhos, o importante é uma solução rápida para o problema e com a participação da população tudo vai melhorar. Reciclagem do lixo é o melhor caminho, mande a sua sugestão para o e-mailfalavilakennedy@gmail.com ou vilakennedy@cittadino.jor.br .