Estátua da Liberdade foi retirada para ser restaurada

Hoje a estátua da Liberdade foi finalmente retirada para ser restaurada. Para mim é um dia histórico, já que foi esse monumento a minha inspiração em 2009, para dar início ao meu grande trabalho de pesquisa dos monumento de nossa cidade. Uma pesquisa a fundo da história desse monumento internacional e não foi fácil. Pesquisando na Divisão de Monumentos da Prefeitura do Rio, Biblioteca Nacional, Arquivo da Cidade do Rio de Janeiro, Museu Bartoldi na França e Senado da República Francesa.

Como forma de gratidão, resolvi lutar pelo restauro dela, a primeira pessoa que reconheceu que deveria ser restaurada foi o Prefeito Eduardo Paes. Ele se comprometeu publicamente em 2009, recuperar 450 obras de arte da cidade até 2015 e que a nossa estátua também ia ser restaurada.

Só que o processo durou quatro anos e nove meses de espera. Em 20 de janeiro de 2010, publiquei meu trabalho de pesquisa na internet, o sitewww.monumentosdorio.com.br , o primeiro catálogo online dos Monumentos da Cidade do Rio de Janeiro.

De 2010 a 2013, os jornais da nossa cidade, O Globo, Extra e O Dia sempre informando sobre o abandono da estátua. Foi na rádio CBN com a Lucia Hippolito, que se teve a maior oportunidade de cobrar publicamente o restauro da estátua.

Em fevereiro desse ano, em um encontro da Subprefeitura da Zona Oeste em Campo Grande, com a vinda do Secretário Marcus Belchior, fui convidado para fazer a abertura do encontro e aproveitei a oportunidade para falar da nossa estátua. O Secretário se comprometeu em buscar recursos para o restauro e em setembro publicou a empresa vencedora no diário oficial.

O consultor do restauro Emilio Giannelli, que em 1986 reconheceu que a nossa estátua da Liberdade é efetivamente do mesmo escultor que criou a Miss Liberty, de Nova Iorque, o francês Frederic Bartholdi. O senhor Giannelli este na Vila Kennedy no dia 04/7/1986 examinando o monumento a pedido na época do Departamento Municipal de Parques e Jardins.