Posto de Saúde Dr. Henrique Monat

Endereço: Estrada do Quafá, Rua I - Vila Kennedy
Tel: 2405-3336/2405-1591/3468-2742/3468-3421/3467-0834
Web: http://smsdc-cms-henriquemonat.blogspot.com.br/

Período de funcionamento:
Atendimento: de 2ª à 6ª das 7 às 17 horas
Sábados das 7 às 12 horas.

O professor Henrique Alexandre Monat nasceu na Bahia, na cidade do Salvador, a 6 de Junho de 1855 e faleceu a 3 de Fevereiro de 1903, no Rio. Era filho de Henri Honoré Monat, nascido em França, e de Flávia de Borja Castro Monat, originária da Bahia, irmã do ilustre engenheiro, professor e diretor da antiga Escola Central do Rio de Janeiro, conselheiro Borja Castro. Bacharelou-se em Paris, no Liceu Bonaparte, tendo feito todos os estudos naquela cidade, desde a primeira infância. Iniciou os estudos médicos na Bahia, terminando no Rio de Janeiro e sendo-lhe colado grau em 1879 em Salvador, com toda a turma. Faziam parte deste grupo os Drs. Francisco de Castro, Ismael da Rocha, Vicente de Souza, Freitas Henrique e muitos outros portadores de nomes ilustres.

Henrique Alexandre Monat fez onze concursos para a Faculdade de Medicina no Rio de Janeiro, tendo sempre alcançado o primeiro lugar. Nesta Faculdade exerceu o cargo de preparador de Anatomia Descritiva. Fez concurso para a cadeira de Frances do Colégio Pedro II, então Ginásio Nacional, durante o governo Campos Salles. Exerceu a cadeira durante poucos anos, vindo a falecer em 3 de Fevereiro de 1903, aos 47 anos. Foi nomeado para esta cadeira a 10 de Abril de 1900. Foi membro da Academia Nacional de Medicina.

Dentre os trabalhos que publicou, são mais conhecidos do grande público o “ Método Prático de Frances ” , “ Caxambu ” , e “ Estudo Sobre Sinônimos, Parônimos e Antônimos ” . No campo da Medicina, podemos citar as seguintes publicações: “ Das Gangrenas ” , “ Anatomia Patológica ” , “ Histologia dos Epitélios ” , “ Réplica Sobre o Novo Uretrônomo do Dr. Bulhões ” , “ Tratamento Radical da Hidrocele ” ( 1889, Brasil-Médico, pp. 19 e 113 ), “ Tratamento dos Estreitamentos da Uretra ” ( 1890 ), Brasil-Médico, p. 390, “ Cálculo Renal ” , “ Migração pela Massagem ” , “ Litotricia “ ( 1891, Brasil-Médico, p. 78 ), “ Duas Pedras na Bexiga, uma porção prostática da Uretra ” , “ Talha Hipogástrica ” ( 1891, Brasil-Médico, p. 365 ), “ Cistite – Fístulas Urinárias – Talha – Extirpação das Fístulas ” ( 1892, Brasil-Médico, ano 6, p. 33 ), “ Moléstias das vias urinárias – Cistite Tuberculosa – Cistotomia ” ( 1892, Brasil-Médico, ano 6, p. 2 ), “ Comunicação à Academia Nacional de Medicina Sobre uma Cura de Talha Hipogástrica e de Nefrectômia ” ( 1892, Brasil-Médico, ano 4, p. 185 ), “ A propósito do projeto da criação de uma cadeira de clínica das moléstias dos órgãos gênito-urinários ” ( 1892, Gazeta Médica da Bahia, ano 29, p. 316 ), “ Da eletrólise nos estreitamentos da uretra ” ( 1882 / 3, Brasil-Médico, p. 34 ), “ Da eletrólise nos estreitamentos da uretra – Resposta do Dr. Costa Lobo ”.

Em 1886 foi fundador da Sociedade de Medicina e Cirurgia do Rio de Janeiro, Número coluna XLIV número 1 – julho, 1930, dos Anais Brasileiros de Medicina e Cirurgia, encontra-se todo o histórico de sua fundação.

Foi, durante algum tempo, redator da Revista da Sociedade da Medicina e Cirurgia do Rio de Janeiro. Existe de seu invento um aparelho para operações da uretra, o qual foi largamente usado, inclusive no Hospital Necker, em Paris. Na questão Castro Malta foi convidado para perito pelo jornal “ O País ”, do qual foi assíduo colaborador em questões científicas. A primeira tentativa do estabelecimento entre nós de um serviço de identificação data 1889. Foi o Dr. Henrique Monat quem sugeriu a sua criação, logo no inicio do governo republicano, durante a primeira administração Sampaio Ferraz. Mais tarde, voltou por duas vezes à França, onde fez estudos de aperfeiçoamento.

Casou-se com D. Maria del Carmen Nolle Torre Monat, em Santos. Das filhas do casal, Carmen Monat Jardim ( falecida em 1951 ) foi casada com o Dr. Francisco Jardim, secretário-geral, aposentado, da Procuradoria do Distrito Federal, de cujo casamento nasceram duas filhas: Maria Luiza e Celeste Maria; aquela, casada com o Dr. Edgar de Amarante, engenheiro civil e eletricista, chefe da Divisão de Estudos Especiais da Light e professor da Escola Politécnica da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, e a segunda com o Dr. Ruy Gomes de Moraes, médico, professor catedrático da Faculdade Nacional de Farmácia da Universidade do Brasil e da Escola de Medicina e Cirurgia do Rio de Janeiro, tendo esse casal seis filhos menores: Lúcia, Heloísa, Eduardo, Miriam, Paulo e Carmen. A primeira filha viva do Dr. Monat é a Srta. Ida Helena Monat, solteira, funcionária aposentada do Ministério da Fazenda; a segunda, Adélia Olympia Monat da Fonseca, é casada com o Dr. Olympio Oliveira Ribeiro da Fonseca, diretor do Instituto Nacional de Pesquisa da Amazônia, professor catedrático da Faculdade Nacional de Medicina e antigo diretor do Instituto Oswaldo Cruz. São filhos deste casal Olympio Henrique Monat da Fonseca, funcionário do Patrimônio Histórico e Artístico do Ministério da Educação e Cultura, casado com D. Maria Stela de Faria Monat da Fonseca, sendo filha desse casal a menor Mônica e Henrique Olympio Monat da Fonseca, médico, solteiro. A terceira filha viva do Dr. H. Monat e a Sra. Helena Ida Monat de Vasconcellos, funcionária aposentada do Ministério da Agricultura, esposa do Dr. Felix da Cunha Vasconcellos, do quadro de oficiais administrativos do Ministério da Fazenda, sendo filho do casal o menor Manoel Henrique.

Fonte: http://palacehotel.com.br/livro-caxambu-do-dr-henrique-monat-1894/