Escola Municipal Joaquim Edson de Camargo

Endereço: Rua Sudão s/n.º
Cep: 21850-530
Telefone: 2405-6632 - 2405-7083

Joaquim Edson de Camargo foi professor, compositor e violinista, nome importante na cultura de Goiás. Dedicou toda sua vida à educação, à música e às atividades culturais. Foi um homem de grande valor.

Joaquim Edson de Camargo nasceu na Cidade de Goiás no ano de 1900, com o alvorecer do século XX. Passou sua infância em Vila Boa de Goiás e fez seus estudos na antiga capital goiana. Estudou no Lyceu de Goyaz e na antiga Escola Normal Oficial. Tornou-se professor na Cidade de Goiás, dedicando-se, sobretudo, à música.

Quando rapaz, Joaquim Edson de Camargo participava das famosas serenatas pelas ruas enluaradas de Vila Boa de Goiás, tocando violino. Iniciou a participação na Orquestra Ideal, que sonorizava os filmes mudos do "Cinema Ideal" e que tinha por maestrina sua parenta Edméia de Camargo, pioneira em todo o Estado. Essa orquestra era muito apreciada pelo público do cinema mudo que ia aos filmes mais para ouvi-la do que para assistir às complicadas fitas ou películas como se alcunhava.

Compositor, de rara sensibilidade, deixou inúmeras composições famosas como: Lembrança de Goyaz (valsa); Saudade (tango), Minha luz é você (Valsa); assim como musicou diversas outras como Minha terra, letra do professor Alfredo de Faria Castro; Goianinha, letra de yamerô; Dentro de uma saudade, letra de Nice Monteiro Daher; Canção do Araguaia, letra de Francisca Philomon de Mascarenhas; Reminiscências, letra de Yamerô, dentre várias outras, algumas inéditas.

Ainda na antiga capital goiana, Joaquim Edson de Camargo casou com Elcima Alencastro Veiga, de tradicional família, descendente do famoso santeiro e artista Veiga Valle. Viveram vida simples, humilde, honrada e direita, com os minguados proventos do professor, na rede estadual.

Com a mudança da capital para Goiânia, foi um entusiasta da nova cidade. Na capital, fundou a primeira Orquestra de Goiânia, era professor particular de música, professor da Escola Normal Oficial, Professor do Lyceu de Goiânia, tocava na Rádio Clube de Goiânia e nos bailes do Jóquey Clube de Goiânia.

Passou o gosto musical à sua filha, extraordinária cantora Ely Camargo, hoje com 84 anos de idade. Em 1962, pouco antes da morte do pai, Ely Camargo seguiu para São Paulo para a carreira musical, sendo reconhecida nacionalmente, gravando diversos discos pela Chantecler e foi contratada pela Rádio e TV Tupi. Seu primeiro disco saiu em 78 rotações, mas já trazia composições de Joaquim Edson de Camargo; o que lhe deu grande alegria e contentamento.

Joaquim Edson de Camargo faleceu em Goiânia no ano de 1966, aos 66 anos de idade, não podendo acompanhar, como queria, o sucesso da filha que, mais tarde, tornou-se famosa com vários discos gravados pela Chantecler e RCA Víctor, com apresentações no México, Portugal e África do Sul.

Um ano depois de sua morte, foi inaugurada a Escola que levava o seu nome, conforme a placa abaixo.

Fonte: http://portal.seduc.go.gov.br/