Escola Municipal Joana Angélica

Diretor: Marcia Ribeiro dos Santos
Endereço: Trav. Barraquilha, S/Nº
Cep: 21850-540
Telefone: 2405-8058 - 2405-5234

Biografia de Joana Angélica

Heroína da independência nacional nascida em Salvador, Bahia, a primeira mártir a tombar no solo bahiano e que sacrificou a própria vida na defesa da clausura do convento da Conceição da Lapa, na Bahia contra o exército português. De família abastada, era filha de José Tavares de Almeida e de Catarina Maria da Silva, aos 20 anos optou pela vida monástica (1782), entrou para o noviciado no Convento de Nossa Senhora da Conceição da Lapa, na capital baiana e tornou-se franciscana do ramo das Clarissas.

Após o noviciado foi irmã, escrivã, vigária e abadessa do convento da Conceição. Com a revolta dos soldados brasileiros contra a nomeação no início do ano do brigadeiro lusitano Inácio Luís Madeira de Melo para comandante das armas da província (1822), soldados portugueses, sob o pretexto de haver patriotas escondidos no convento, derrubaram a porta a golpes de machado. Ocupava a direção do Convento, em fevereiro, quando à entrada da clausura, enfrentou os soldados lusitanos, que tinham vindo para Salvador desde o Dia do Fico, e teve o peito trespassado de baionetas.

Esvaindo-se em sangue foi levada para um sofá de palhinha, que ainda pode ser visto, e faleceu pouco depois, tornando-se, assim, a primeira mártir da grande luta que continuaria, até a definitiva libertação da Bahia, no ano seguinte. No centenário de sua morte a Imprensa Oficial do Estado da Bahia publicou o livro Joana Angélica, a primeira heroína da Independência do Brasil, de Bernardino de Sousa.

Fonte: http://biografias.netsaber.com.br